Tetraplégico gerencia franquia online de camisetas nerds por sensor e voz – UOL Economia / Empreendedorismo

Fonte: UOL Economia / Empreendedorismo

TECNOLOGIA AJUDA TETRAPLÉGICO A GERENCIAR NEGÓCIO SOZINHO

Os movimentos com a cabeça e a voz do paulista Manuel José da Trindade Neto, 31, bastam para que ele consiga gerenciar seu negócio próprio. Após perder os movimentos dos braços e das pernas em um acidente de moto, o empreendedor viu numa franquia online de venda de camisetas a chance de aumentar a renda. Ele também recebe aposentadoria por invalidez.

Seu site próprio, chamado Nerd Fashion, é operado em casa, por meio de um computador com acesso à internet. Um programa, que usa a câmera como sensor, capta o movimento da cabeça como se fosse o comando do mouse. Ele também usa um software que converte a fala em texto. Assim, Neto, como é conhecido, consegue realizar os procedimentos necessários para o negócio.

Após perder os movimentos dos braços e das pernas em um acidente de moto, o empreendedor Manuel José da Trindade Neto, 31,  viu numa franquia online de camisetas a chance de aumentar a renda; sua loja virtual, chamada Nerd Fashion, tem endereço personalizado na internet.

Após perder os movimentos dos braços e das pernas em um acidente de moto, o empreendedor Manuel José da Trindade Neto, 31, viu numa franquia online de camisetas a chance de aumentar a renda; sua loja virtual, chamada Nerd Fashion, tem endereço personalizado na internet.

Neto é franqueado da rede Camisetas da Hora em Ribeirão Preto (313 km ao norte de São Paulo). Ele revende os produtos da marca num endereço online personalizado. A tarefa do empreendedor é manter a página atualizada, divulgar os produtos, tirar dúvidas de clientes e passar os pedidos para a franqueadora, que é responsável por produção e envio das camisetas.

No dia a dia do negócio, o empreendedor trabalha deitado em uma cama com o notebook sobre um suporte adaptado ou sentado em uma cadeira de rodas com o computador em uma mesa à frente. Para tarefas básicas, como se alimentar e se locomover, ele tem ajuda da mãe.

Neto afirma vender, em média, 500 camisetas por mês, o que lhe rende um faturamento entre R$ 20 mil e R$ 22 mil. O lucro, no entanto, fica entre R$ 5.000 e R$ 6.000. “Com esse dinheiro, consigo pagar minhas despesas médicas e ainda sobra um pouco para o lazer.” O empreendedor não detalhou os custos médicos, mas diz fazer fisioterapia e precisar de equipamentos especiais.

Empreendedor ficou tetraplégico em acidente de moto
Foi um acidente de moto, em agosto de 2011, que deixou Neto tetraplégico. Na queda, ele sofreu uma lesão na medula espinhal. O empreendedor ficou quatro meses no hospital até ter alta e começar a fisioterapia. “Não fazia nada além de ficar deitado na cama. Era muito dependente dos outros”, diz. “Foi aí que decidi que queria voltar a ser produtivo.”

Neto tentou dar aulas particulares de inglês pela internet, mas a ideia não foi adiante. Segundo ele, não trazia o retorno financeiro e pessoal que ele gostaria. Ao pesquisar modalidades de negócio na web, conheceu as franquias online, entre elas, a Camisetas da Hora. O investimento para iniciar o negócio, em janeiro de 2015, foi de R$ 4.000. Hoje, a franquia cobra R$ 4.400 (taxa de franquia + capital de giro).

Divulgação por Facebook, Twitter e blog ajudam negócio
Fã de histórias em quadrinhos, o empreendedor viu nas camisetas estampadas com ícones pop e frases de humor uma oportunidade de negócio e também a chance de satisfazer a um gosto pessoal. “Hoje, ser nerd está na moda”, afirma. Além do site, ele administra um blog e perfis no Facebook e Twitter para compartilhar conteúdo para esse público, o que ajuda a atrair clientes para o negócio.

Antes do acidente, Neto era analista de controle em uma rede de franquias. No antigo trabalho, fazia relatórios financeiros e estatísticos para a empresa. “Era algo que eu gostava de fazer e, agora, tenho a chance de fazer novamente com o meu negócio”, diz.

Franquia online tem risco de concorrência interna
No caso de uma franquia que vende produtos ou serviços pela internet, há o risco de os franqueados da mesma empresa concorrerem entre si e com a própria matriz, segundo Batista Gigliotti, presidente da consultoria Fran Systems. Para ele, a franqueadora precisa ter uma política clara para evitar disputas internas pelo mesmo cliente.

“Uma forma de evitar essa concorrência é delimitar a área de entrega de cada franqueado e redirecionar o cliente para quem estiver mais perto dele”, afirma. “Isso já acontece com as franquias de delivery de comida quando um pedido é feito pela internet.”

Além disso, por ser um negócio operado em casa, o empreendedor precisa ter disciplina para não perder o foco, diz o consultor. “É necessário seguir regras como num escritório tradicional e cumprir horário. Se ele parar no meio do expediente para fazer compras no supermercado, por exemplo, estará perdendo vendas.”

Onde encontrar:
Nerd Fashion: www.nerdfashion.com.br

1 thought on “Tetraplégico gerencia franquia online de camisetas nerds por sensor e voz – UOL Economia / Empreendedorismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *